sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Recadinho ao mundo machista.

Recado ao mundo machista:
Infelizmente enquanto o homem continuar pensando somente com a cabeça de baixo a tendência é sempre essa. Homem comum morre de medo de mulher inteligente, lamentável.
Costumo dizer que existe HOMEM e homem, no meu caso em especial por conta do meu planeta de onde sou oriundo o PSYCH OUT. prefiro ser nenhum dos dois, eu me basto como um alienígena de passagem por esse Planetinha tão confuso.
No fundo homem é uma merda...lidar com mulheres é muito melhor(particularmente no meu caso)


A cabeça de baixo só deve pensar e agir quando ela for convocada. De resto deixa ela relaxar em cima dois travesseiros(entendeu?)
No fundo ela não serve pra quase nada...Apenas para dois casos específicos.

OK?

sábado, 21 de janeiro de 2017

O FACEBOOK É A INTERNET?


A INTERNET NÃO É O FACEBOOK...O MUNDO CIBERNÉTICO NÃO SE RESUME A ESSA INSOSSA REDE SOCIAL.

ELA É MUITO MAIS DO QUE ISSO, É UMA AUTO-ESTRADA ABERTA PARA O CONHECIMENTO. Entre sites, blogs, youtube entre outros(as)

Stewart Brand, Sir Tim Bernes Lee e John Perry Barlow não estão gostando disso.

É preciso que haja essa evolução virtual dos usuários.
Testemunho..

Acompanhei de perto a evolução dos computadores da ERA MAINFRAME, Passando pelo 486...até chegar no PC. Da tela de fósforo verde, do tubo CRT,(Tubo de raios catódicos), LCD E LED.

A internet discada via rede dial-up... A chegada da banda larga, e a internet via rádio no meu caso(Excelente) sem modem, sem combo, sem nada, apenas o cabo de rede conectado na máquina. A auto- estrada se abriu...E de repente com a criação do Facebook...Bestializou-se...Não no seu começo...É nesse atual momento 2014,2015,2016...

Para algo criado em 4 de fevereiro de 2004...
Aqui a situação é pior em relação ao Facebook.

Que começou sua operação em 18 de maio de 2010(Minha conta é dessa época) E hoje.,..

Ou seja, seu processo de bestialização começou entre 2014...Há muito deixou de ser um celeiro de intelectualidade, alto nível cultural e informação relevante.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

A MÚSICA INSTRUMENTAL NO RIO DE JANEIRO.

Pretendo contar um pouco dessa história...espero que curtam.


Sobre a Banda Black Rio.


Um pouco da história:

Depois de 20 dias consecutivos de ensaios e experimentações , a música de abertura de uma novela global tinha sido concebida, o antológico tema "Maria Fumaça", um marco na música instrumental brasileira.


"todo o poder para o povo"

 Tive sorte de ver a Banda Black Rio em ação por muitas vezes.

Conheci cada um deles. Posteriormente com o fim da banda, e a partida de Cláudio Stevenson, guitarrista e o único branco da banda e de Oberdan Magalhães. Só tive contato mesmo quase que direto com o trompetista Barrosinho, Era muita história.

Quando soube da partida do Barrosinho porque estranhei sua ausência pelo Centro com o seu Trompete, fiquei triste.

A missão aqui é manter essa memória toda viva...Tive sorte, pude estar presente em quase tudo quanto é lugar.
Os anos 70/80 foram quentes e demais da conta, abria-se o jornal e você não sabia qual concerto ver...Chegava a fazer jornada dupla, assistia um concerto 18:00, e depois outro 21:00, uma loucura cultural.

Era comum ver o Nico Assumpção quebrando tudo no Prudente Demais jazz club e ali perto uma grande jam no Rio jazz Club..

Dinheiro pra isso tudo?? nem precisava, virei amigo de todos vivia com as caras pra cima e pra baixo jameando. Lembro até hoje quando Arthur Maia me mostrou seu Fender Precision todo branco...que lindeza.
Na boa sacar de som foi a chave para o conhecimento e que colaborou e muito para transitar em todas as tribos...De Irajá, passando por Campo Grande, Santa Cruz ou Ipanema...Para um cara com eu nunca fez a menor diferença...Estou longe de qualquer mal, CULTURA E ARTE SUPLANTANDO TUDO.
E hoje aos 56, creio que ainda estou no caminho certo e morando na loucura da Lapa.(Continua)


domingo, 1 de janeiro de 2017

E O MUNDO MUDOU...


O mundo mudou depois da década 70...o auge criativo cedeu lugar ao processo de bestialização e o subculturismo em larga em escala.
A década transitória dos anos 80 foi o último suspiro.
Na década de 90, o processo predatório da cultura, deu a partida...
2000 em diante...É o que se vê, se ouve, se sente, se escreve e as relações interpessoais nem de longe lembra uma época de camaradagem e alto astral.
Fato esse que os grandes criadores da arte genuína vão partindo por conta do curso da vida de cada um, e se notar não estão surgindo outros e nem tão pouco uma substituição para suprir sua falta.
No seu lugar o artista efêmero que preza pelo descartável...
A imundice da subcultura ganhando cada vez mais proporção gigantesca.


Realmente o mundo mudou...