quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

OS IRMÃOS NAZÁRIO, OU O GRUPO UM


Um dado curioso dos irmãos Nazário: Lelo e Zé Eduardo Nazário


Ambos fizeram parte de três dos maiores projetos musicais criativos.

Passaram pela Escola Gismontiana, Hermetiana e um terceiro chamado Paul Brasil.

Além do bem sucedido Grupo UM. Fora o projeto individual de cada um.

Uma característica da estrutura estética do Grupo UM é fruto da Escola Européia muito pelo lado cerebral do Lelo Nazario, dono de uma personalidade sem precedente, um dos poucos pianistas e tecladistas que ao tocar a primeira nota você percebe, eis o Lelo Nazario e totalmente off ao Mercado predatório do insosso cenário musical atual. Fora seu momento nerdesco por lidar bem com sistema de composição por computador aliado ao seu alto grau de concentração e conhecimento do espectro musical e sonoro, criando uma textura única, o que chamo de Nazarius Sounds
Além disso, trabalhou com uma estrutura complexa e fechada sem abrir mão da contemporaneidade da improvisação coletiva beirando ao estado Free em relação ao GRUPO UM.

Outro dado curioso: O caso dos irmãos Nazário parece ser o único onde dois irmãos em plena atividade de sua função, no caso Piano e bateria ditam uma forma estética que poucos ou quase nenhum transitam, indo no sentido antagônico do instrumental previsível Brasileiro. trabalham numa camada de Deep Web da música criativa, onde poucos acessam e captam sua essência que precisa de um audição ou melhor percepção criteriosa para entender o que o emissor pretende, gerando uma mensagem em código único e aberto para uma recepção continua de um fluxo sonoro ímpar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário