domingo, 6 de novembro de 2016

FILOSOFIA SONORA...OU COISAS DOS ANOS 70.


Histórias, causos, devaneios sonoros, sobre som e anos 70, somente nesse perfil sonoro.Se estiver afim de discutir política, futebol, comida, conversa de Dpn(De porra nenhuma), falar mal do governo(Que é uma merda mesmo), xingar, comentar sobre pacote econômico, ocupação...e tal.tal..tal... NÃO É AQUI..SACOU?? ou preciso desenhar??

Afinal de contas alguém aqui tem ir contra a maré, como sempre foi. E aprendi,  que viver na minha  e sem incomodar terceiros é sempre uma arte, e não é para qualquer um.




De certa forma... mantenho tudo que não presta longe do meu alcance...É muito bom ser respeitado em qualquer lugar. E acima de tudo respeitar as diferenças...Convivo com elas desde muito cedo..

Para mim tudo é normal...pego o gancho na diversidade sexual, na religião em qualquer esfera, Convivo com isso desde que vim ao mundo...
Como eu "nasci há dez mil anos atrás" e sempre "caminhando contra o vento sem lenço e sem documento" ou por hora "caminhando e cantando e seguindo a canção" quero "porque gosto daqui, dos barulhos estranhos que possam surgir"
E sempre chamo "hey amigo, cante a canção comigo" já que "não sou daqui e nem sou de lá, eu sou de qualquer lugar, Sou cidadão da terra e minha vida é toda verdade e não tenho mais idade" porra...E lá vem os anos 70 de novo...kkkkkkkkkkkkk 
paz, amor e som à todos.
Dedicado aos que resistem e ao camarada Pedro Augusto Baldanza



Explico a expressão que tanto uso:

Numa tarde qualquer fui abordado pela extinta TV MANCHETE para um programa jovem chamado todas as tribos, algo assim..
A repórter me viu(com esse layout que sempre tive) e segue o diálogo>
- Boa tarde, posso te fazer umas perguntas para um programa de comportamento chamado "Todas as tribos"?
- Claro. 
- De que tribo você é?
-eu, de nenhuma, SOU CIDADÃO UNIVERSAL, PLANETA TERRA.
Saiu de primeira e ainda fui convidado para defender os anos 70...Creio que foi na década de 80 isso...

 E nunca mais deixei de empregar essa expressão.

Sinceramente, de certa forma nunca mudei o meu modo de ver e sentir as coisas da vida...bacana, seu mauro wermelinger, hoje você é um jovem senhor de 55 anos, fique sempre assim.


Nenhum comentário:

Postar um comentário