quinta-feira, 25 de junho de 2015

SE FORMAR É A SOLUÇÃO??

Um comentário:
Se formar em uma Universidade Pública é um trabalho árduo devido aos fatores gerados:
Falta de estrutura, greves, excesso de disciplinas e no final todos ou quase todos se formam.
Lembre-se o Mercado não vai absorver nem 5% dos formandos.

Muitos que acabaram de sair estão em casa vendo Sessão da Tarde com o diploma dentro de um pasta ou na parede.
Para uma melhor colocação: Ou segue estudando(Mestrado/Doutorado ou travaste-se de funcionário público para garantir a grana na conta.
Sem a realização de todo o seu investimento cultural. A escolha é de cada um, cada protagonista sabe aonde o calo aperta.
Enfrentar o mercado fora desse segmento não é para qualquer um.
O Mercado tem as oportunidades para profissionais criativos em todas ou quase todas as áreas de Trabalho e atuação.
Agora se querem uma zona de conforto, façam concurso...ou...sei lá.

MAURO E O SOM...

Era um tal de maluco comprar disco e bater lá em casa, Mauro, passa lá na minha cachanga(gíria para casa ou apto) vamos ouvir um som.


Tinha uma vantagem...não tinha muita grana para comprar discos e passei a decorar ficha técnica, ai todo mundo me chamava para ouvir som.
Sacou, Marcos Junior
E uma boa memória para lembrar de coisas intricadas, melodias...

Na boa...ouvi muitooooooooooo disco...


GALERA..TENHO QUE CONFESSAR
Esse bombardeio sonoro de informações que posto nas redes sociais, advém dos seguintes fatores:
Sabe pode parecer maluquice, ansiedade por som;..o lance é seguinte: quase tudo que posto nessas redes, ouvi ou tomei contato em algum lugar do meu passado sonoro.

terça-feira, 23 de junho de 2015

HERMETO PASCOAL, 79 DE ANOS.

Sobre Hermeto Pascoal:
Além da figura que representa, escrevo com veemência que ele é o próprio som, tudo que passa por ele vira som. Dotado de um processador que nem sei a marca, e que realiza essa leitura muito rapidamente, criando som sobre som, numa linguagem unicamente brasileira e completamente universal.
Para um garoto como eu(tinha 24 anos) ver aquela "entidade sonora" todos os dias, e os "aloprados sonoros" era algo inconcebível para mim.
Tive sorte de que estava no lugar certo e na semana certa do dia 20 de junho de 1984. E no dia 22 de junho do mesmo ano...Estava na casa dele comemorando seu aniversário, e por lá fiquei voando até 1993.
Sou grato por conhecer caras como Carlos Malta Itiberê Zwarg Marcio Villa Bahia Jovino Santos Neto e Pernambuco(R.I.P) por encherem a minha vida de som durante nove anos e sem mudar a minha rotina diária de muito trabalho nas madrugadas convivendo com computadores.
OBRIGADO.

quarta-feira, 17 de junho de 2015

AINDA SOBRE O GRUPO UM- DE Zé Eduardo Nazário e cia.

Explicando ou tentando explicar a forte aceitação do GRUPO UM até hoje.
Talvez por soar diferentemente na sua época e carregado do elemento do jazz fusion contemporâneo e sem o quesito sonoro parecido com a música de fusão tão em voga por essa época. Quando boa parte do instrumental brasileiro, era carregado do elemento da Escola de Berkeley, ou calcado no fusion criado nos estúdios de LA(Los Angeles), muitos músicos brasileiros copiaram descaradamente essa vertente estética. O GRUPO UM ia no sentido antagônico e provocaram um dicotomia sonora atraindo um público afim de pensar musicalmente.
Assim como o som do Hermeto, Divina Encrenca, Pé-Ante-Pé, Freelarmonica...e tal...tal...tal.

Mesmo Oriundo do Grupo do Hermeto, Zé Eduardo Nazario, Lelo Nazário e Zeca Assumpção,após a saída do mesmo criaram uma linguagem instrumental completamente nova e com pouco eco da escola hermetiana.
Ainda estávamos nos anos 70 e o TRIO resolveu arriscar-se indo numa direção antagônica a postura sonora adotada pelo Hermeto.
O Grupo Um, adotou estruturas fechadas, improvisação coletiva, muito do elemento contemporâneo, um brasilidade dentro do limite(sem aquele exagero), uma boa dose de vanguardismo numa época que isso não era muito comum.

sexta-feira, 5 de junho de 2015

SOBRE OS TÍTULOS DOS DISCOS DO GRUPO UM

Os títulos dos discos do GRUPO UM são emblemáticos:
Um breve histórico: Surgiu no final da década de 70, após a saída dos irmãos Nazário do grupo do Hermeto Pascoal, e resolveram criar uma linguagem sonora bem além do que era esperado naquele momento.
"MARCHA SOBRE A CIDADE" reflete a marcha em prol de uma cultura musical mais apurada em toda a cidade e proliferando um refinamento sonoro.
"REFLEXÕES SOBRE A CRISE DO DESEJO" um mergulho sobre o momento reflexivo de uma forte crise sonora no desejo ávido por uma construção sonora de excelência.\
No seu último disco "A FLOR DE PLÁSTICO INCINERADA" é a resposta sonora da concepção final do GRUPO UM nas questões ambientalistas e preservacionista em prol da defesa do PLANETA TERRA em forma de som.

quinta-feira, 4 de junho de 2015

TEMPOS MUDERNOS...

Meios de comunicação nos dias de hoje:
Resolvi...vou escrever uma carta à mão e.colocar no correio...
Mais tarde passo um telegrama ou envio um fax.
Em dado momento vou escrever um texto numa máquina olivetti Lettera 22.
E na era do computador moderno é melhor gravar os dados num diskette para não perder as informações.
Finalmente...a internet chegou, super moderna, discada rede dial up...mega veloz para quem só tinha o telefone.
E por falar em gravar...vou gerar algumas músicas em fita cassete para a melhor preservação dos vinis, enquanto não chega nada mais vanguardista.
Coisas da Era da Modernidade...