segunda-feira, 21 de setembro de 2015

1980...ANO QUE VI JACO E OS METEOROLOGISTAS IN LOCO.

Vinha daquela onda toda do Primeiro Festival de jazz em Sampa, 1978. Pude ver os mestre do jazz contemporâneo como Stan Getz, Dizzy Gillespie e os expoentes da era fusion como Chick Corea, Larry Coryell e Phillip Catherine, Joe Farrel que veio tocando no grupo do Chick Corea, Grupo Um e Márcio Montarroyos como convidado, a banda elétrica de John Mclaughlin e a grande jam com Hermeto, Corea, Mclaughlin e Stan Getz, tendo como base o grupo do Hermeto que na época contava com Jovino Santos Neto, Itiberê Zwarg e Nenê na bateria e o grande Pernambuco na percussa.
Ou seja, vinha de uma carga incrível de sons e concertos e ainda respirava aquela atmosfera gerada nos anos 70.
          Pois bem, vivia a década transitória e ainda plena ditadura militar que abrandava por essa época e as coisas estavam acontecendo em prol da cultura e do som de qualidade e como sempre estava presente nos concertos onde o som acontecia e soube que aconteceria o Rio Jazz Monterey Festival dentro das dependência do Maracanãzinho. O festival iria ocorrer entre os dias 14 a 17 de agosto de 1980.      
         E preparei-me para ver na quinta-feira dia 14 John Mclaughlin e Christian Escoudé e o tão aguardado WEATHER REPORT tocando na integra do disco duplo ao vivo 8:30, e lá fui eu com 20 anos de idade ver o Jaco em ação com Wayne Shorter, Jose Zawinull, Peter Erskine e Robert Thomas Jr na percussão...E fui arrebatado por temas como Scarlet Woman, Teen Town, Birdland,  "Badia/Boogie Woogie Waltz", "A Remark You Made" e finalmente o tão aguardado baixo solo de Jaco, a clássica "SLANG".  Ai jurava que estava numa dimensão paralela devida a qualidade emanada pelo grupo e mesmo com a sofrível acústica do local tudo soava com uma precisão e com aquela qualidade de disco de estúdio.
          Jaco com aquele Fender Jazz Bass descascado, sem trastes, plugado com chorus, delay, overdrive elevou o instrumento aos píncaros da inventividade em quatro cordas. Estava muito perto do palco completamente vidrado nos "meteorologistas" que fizeram chover som e texturas timbristicas nunca antes ouvida e vista em Terra Brasilis.
           E no dia 21de setembro de 1987, pela manhã, Jaco tinha partido para outro mundo e uma parte do meu som também findou-se .Tinha 27 anos.

John Francis Anthony Pastorius III foi-se e deixou seu legado.

 

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário