sábado, 6 de setembro de 2014

Sobre os discípulos da Usina Fusion de Miles Dewey Davis III

A usina fusion de Miles Davis, gerou vários construtores sonoros de uma linguagem universal e altamente instigante.
Chick Corea que enveredou entre o som fusion mesclado com flamenco e o latino.
Keith Jarrett preferiu o elemento acústico e lançou-se em um voo solitário e com o seu trio.Primeiramente, com Paul Motian na bateria e Charlie Haden no baixo.
Em seguida, um longo casamento sonoro completado com Gary Peacock no baixo acústico e Jack DeJohnette na bateria.
Jack DeJohnette colocou sua bateria à serviço de grandes projetos musicais desde do selo ECM com o seu Special Edition, até a extensa participação nos grandes combos do jazz contemporâneo.
Airto Moreira, que colocou a percussão brasileira nos anais do jazz fusion-latino.
E Dave Holland que ao meu ver é o mais contemporâneo e cerebral dentre eles.
Da época do "Do melhor som depois do silêncio" passando pela Dave Holland Big Band, Dave Holland Quartet, Dave Holland Quintet e no seu atual projeto PRISM
Jazz contemporâneo sem o menor pudor instrumental.


Nenhum comentário:

Postar um comentário