terça-feira, 11 de outubro de 2011

PEDRO SIMÃO, UM GUITARRISTA EM ASCENSÃO

5 comentários:

  1. Como todo guitarrista em franca ascensão prefere tocar com a geração da sua idade em que todos ainda estão para mostrar a que vieram.

    ResponderExcluir
  2. Benson, não é um dos meus preferidos, não tirando a sua contribuição nesse viés.
    Ainda prefiro os mais criativos:John Abercrombie, Mick Goodrick, Bill Connors, Terje Rpydall, Derek Bailey, Robert Fripp, David Torn, John Mclaughlin, Allan Holdsworth onde a guitarra é explorada num sentido estético completamente diferente da guitarra do jazz.
    Aqui no Rio de Janeiro, essa concepção é demonstrada com Aloysio Neves e Rodrigo De Jesus. Dois expoentes da guitarra contemporânea.

    ResponderExcluir
  3. É preciso que Simão toque com os melhores da cena instrumental brasileira e que opte por uma linguagem mais original do que tem demonstrado recentemente.
    Corre o risco de ficar estudando no palco e lugar de exercitar é em casa ou na Escola.
    O resultado pode cansar o ouvinte.

    ResponderExcluir
  4. É fato que esse tipo de ocorrência é inerente a quem toca guitarra, seja no rock, blues e jazz.
    A grande maioria soa bem próximo um do outro e com uma forte sensação"já ouvi essa frase em algum lugar".
    Pedro, deve tomar esse cuidado para não ser mais um nesse predatório mercado da música instrumental.

    ResponderExcluir
  5. Simão, é sobrinho de grandes musicistas como a pianista Lis de Carvalho e a flautista Léa Freire.

    ResponderExcluir